segunda-feira, 20 de setembro de 2010

O cara chato

Aquela figura que todos nós já tivemos a oportunidade de ver (e/ou cuidar) pelo menos uma vez na vida: o bêbado. Tem cara mais chato?


Quem me conhece sabe. Eu não gosto de bêbado. Ou melhor, não suporto. Mantenho distancia e não respeito. Quando eu digo bêbado, eu to restringindo àquele ser que passou do limite cool da coisa e vira o tal avulso que fica no pinga-pinga (dessa vez não relacionado à bebida) entre grupos de amigos só pra encher o saco. Segue a tese do passa-chato - aquele teu conhecido que é chato pra caralho, não tem amigos, mas acha que é broder de todo mundo e ainda te intitula como melhor amigo dele - que consiste na idéia de você levar o indivíduo pro grupo mais próximo e depois sair deixando ele lá pra quem tiver a bondade divina pra repassá-lo pra outro azarado e assim sucessivamente.

Bêbado pra mim tem que vomitar a vida pra sofrer cada segundo que me fizeram querer morrer enquanto ele me contava aquelas piadas repetidas usando técnica avançada do cuspe na minha cara. Bêbado é inconveniente, fala o que não deve, faz o que não deve e cospe o que não deve. Aquele que precisa de apoio todo momento de sua vida. Mas apoio literal mesmo. Só serve pra ele se tiver abraçado contigo (ou melhor, debruçado em ti), puxando sua cabeça pra perto dele só pra que as gotas de saliva possam atingir sua retina. Te conta as mesmas histórias e cansa seus ouvidos com tantas promessas de amor sem fundamento.

E eu não cuido de bêbado, já disse isso mil vezes. Pode ser meu melhor amigo, minha mãe ou o papa. I DONT CARE. Ok que eu não cuido porque se o bebado vomitasse, a única coisa que eu conseguiria fazer é vomitar em cima dele também. Mas enfim, não cuido porque eu não peço que cuidem de mim (até porque eu não chego nesse nível). É vergonhoso. E o filho da puta bebado que tá lá em coma nunca vai saber o que você abdicou da tua noite, teve que ver ou fazer (desde ajudá-lo a mijar até limpar o vômito que ficou no seu pescoço) pra cuidar de uma irreponsabilidade dele. Mesmo porque ninguém é obrigado a ter que ver seu pinto rodando enquanto voce faz a enfermeira ajudando ele a tomar banho, né?

Eu não sou chato nem careta. Eu bebo também. Mas, como tudo na vida, também com limites. Você nunca ficou bêbado, Tio Pedro? Claro que já. Mas não incomodei ninguém. Tenho vergonha disso. Ficava na minha, cuidava de mim, passava mal by myself. Foda é que tem gente que acha bonito dar trabalho pros outros. Não sei o que é mais triste, um muleque de 15 anos nas festinhas de debutantes pagando de bebado ou um playboyzinho de merda no auge dos seus 25 entrando em coma na balada. Bora brincar de crescer?

Minha paciência pra você que precisa passar vergonha pra dizer que sua noite foi sensacional é zero. Tento descobrir até hoje qual é a vantagem de se contar que saiu carregado da balada. Eis que um dia a maturIDADE chega e muda o cenário. Pelo menos eu prefiro acreditar que isso ainda vai acontecer.

9 Comentários:

Guilherme Toscano disse...

Eu curto cuidar de amigos bêbados porque já cuidaram de mim no passado. That's life.

Gabriel Mota disse...

Só fui bêbado chato uma vez na vida. E geral cuidou de mim. Inclusive tu, vagabundo. Me viu chorando e tudo.
Na maioria das vezes eu me cuido (não vomito nem bêbado e quando vejo que tou chato fico recluso á minha insignificância). Sou um bêbado educado.
E sempre cuido de gente bêbada. SEMPRE.

Gabriel Mota disse...


com crase.

Anônimo disse...

"Bêbado pra mim tem que vomitar a vida pra sofrer cada segundo..."
Não ache que isso desejar isso a um bêbado é um mal. Melhor coisa quando está bêbado é vomitar: a pessoa melhora na hora.
Deseje algo pior, se você quiser desejar algo realmente ruim.
Fala sério agora, você nunca ficou bêbado?

Anônimo disse...

Pior do que aturar bêbados e aturar aquelas pessoas que são chatas sem nem precisarem beber. =P Porque o efeito do alcool passa um dia... A chatice não. =)

Naisa Nayane disse...

beber tudo bem, mas não saber o seu limite, ou saber e não respeitar ou saber e querer passar, é podre ! Se algum dia alguém ficar bebado perto de mim, eu deixo caido no chão !

Thaís Coelho disse...

Odeio gente bêbada e odeio mais ainda ter que cuidar. Por essas e por outras que só bebo suco =) haha

Beto disse...

Eu bebo moderadamente...
Mas algumas vezes acabei passando dos limites, mas sempre fui embora sozinho, vomitei sozinho e tudo mais sozinho.
Não vou dizer que não tenha sido um mala, mas pelo menos não dei tanto trabalho pra ninguém... :P

Fds agora mesmo aí em Goiânia, numa boate, bebi pouco, mas acho que por não ter jantado (esqueci mesmo), acabei ficando meio ruim, e como juntou com o sono, tava chochilando em pé. Quando percebi que não estava no meu estado perfeito, peguei um táxi, fui pro Subway mais perto, comi e depois fui pra casa curar minha pinga sozinho e tomar 1 litro de refri de laranja... :P

Não dou trabalho para não darem pra mim. Odeio ter que cuidar de bêbado. Agente se estressa, perde a própria festa, a chance de levar aquela gata embora ou de curtir a noite...

Abraço!

IsaPriore disse...

Simplismente: concordo. Mas eu posso abrir exceções com algumas pessoas, ou sei lá.

Postar um comentário