quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O Araguaia para maiores de 18 anos.

Pois então, todo mundo já sabe que a gente curtiu Araguaia, principalmente no que diz respeito aos goianos. Viu? Ninguém aqui anda de chapéu na rua. Exceto os Limas Duartes que usam o adereço na cabeça por questão de tradição. E falando em Lima, ninguém aqui usa direto - e corretamente - a segunda pessoa do singular nas suas frases orais.
Bem, e como todo mundo também já sabe, o que é apresentado na TV nem sempre é o retrato fiel da realidade. O Araguaia tem sua boniteza toda, ninguém pode discutir isso, mas não é sempre assim nos seus 2115 kilômetros de extensão. E eu, como oriundo daquelas bandas de lá, na nascente do rio, vou exemplificar que coisas atípicas também acontecem no rio.
Seis de setembro de 2006. Convidado por uma amiga, fomos viajar os cerca de 100 Km que separam Mineiros-GO de Santa Rita do Araguaia-GO e Alto Araguaia-MT. São duas cidades, cada uma de um lado do rio (a cerca de 60 Km de sua nascente), cada uma de um estado. E pasmem, cada uma deveria ter seu fuso-horário. Na prática, pessoal de Alto Araguaia teria uma hora a mais para dormir antes de ter que ir trabalhar. Enfim.
Não, esse cortado na foto não sou eu. Ignorem.
Todo ano acontece na cidade uma festa chamada Festival Náutico. Mas não é nada tradicional, não tem comida típica... Quer dizer, toda festa nessas bandas de cá tem pamonha, curau, milho assado e o tal caldo de galinha e feijão. Mas nada com o propósito de ser manifestação da tradicional comida goiana/matogrossense. Se bem que o que mais rola no festival é bebida. Looota daquelas barraquinhas coloridas com nomes estranhos cheias de garrafas medonhas, canudos espetados em abacaxis e "drinks" chamados "Capeta", "Tesudinha" ou "Ereção".
E nem é bem um festival. Tem só alguns shows duvidos... err, ecléticos que variam de Amado Batista a Detonautas. O motivo do festival é apenas ver gente desfilando nas areias brancas (sim, elas existem de fato) do rio que na época recebe jet ski (sim, ele existe) a torto e direito, e gente bêbada morrendo à noite porque inventou de tomar um banho no rio às quatro da manhã. Sim, a correnteza forte também existe.
Fomos em uma turma de 5 pessoas que se juntou com mais uns 4 pra ficar na casa dessa minha amiga, que contava com seus 5 membros da família. Ou seja, superlotação. A cidade para na parte da tarde, todo mundo ou bebendo em casa, ou dormindo de ressaca pra se manter acordado à noite toda.
E chega à noite, hora de beber e ver o real mistério do Araguaia de perto, aquilo que ninguém conta e eu vou contar porque tenho um compromisso da verdade com você, leitor:
Se não chove, você pode beber ao ar livre. Se chove, você faz como a gente: compra as bebidas fora do festival (que tem entrada franca) e para na varanda de uma casa que sua amiga diz ser abandonada mas que depois de 5 horas você descobre que NÃO É. Você senta na varanda, encosta na porta, grita, bebe, leva o amigo bêbado pra vomitar no tanque de lavar roupa no fundo da casa e só depois de duas horas você percebe que uma luz acendeu dentro da residência.
Daí você, trêbado, desce a rua pra chegar nas areias do rio com sua turma. E de repente, assim, do nada, tem duas pessoas transando apoiadas no muro, ali onde a luz do poste quaaase não chega, sabe? E você aponta, grita e ri.
Um bêbado, eu (continuem ignorando), nega
e a amiga oriunda da cidade!
E então você mal chega nas areias e já te convidam pra entrar na boate que "tá 5 real agora, vaaamo". Se estivesse sóbrio, você saberia que isso é uma cilada, Bino. Mas você vai, junto com a galera. O troço é tão bom que como no seu grupo tem duas meninas bonitas, eles deixam todo mundo entrar de graça. Vai que os 5 reais espantam as duas únicas mulheres bonitas da noite de entrar na boate, vai saber... Depois de três Calypso e cinco forrós Mastruz com Leite, enquanto você dança com a senhorita de 62 anos que tava se jogando pra você, alguém te puxa gritando: É BRIIIGA!!! E todos saem, normais. Aí você se mistura com o povão. Pula e bebe mais. Deu cinco horas você sobe a ladeira pra ir pra casa. E aí que comentam contigo que você é um sobrevivente. "Sabe a briga na boate? Pois é. Neguinho tava armado. Depois que vocês saíram, eles foram expulsos e rolou tiroteio lá fora."
Cara, eu odeio o lado negro do Araguaia!
Mas olha, brincadeiras à parte, Festival Náutico tem só lá. O resto do rio tá livre. E visitamos uma fazenda linda, com um rio maravilhoso, calmo, coberto por um chão de pedras que te faz ficar horas sentado (ou deitado) de molho curtindo a linda paisagem do lugar.
Cara, eu AMO o Araguaia. Principalmente em cidades que não têm uma semana de festivais como esse.
=]

3 Comentários:

Pedro Carvalho disse...

"No bar que normalmente eu bebo..." HAHAHA

Guilherme Toscano disse...

Você tem sido muito boêmio, dois relatos de festas em menos de um mês?

leris disse...

Meooooooo Deusssss...
foi a melhor viagem do mundo!
kkkk.. fui lendo e lembrando dos detalhes..
depois de relembrar daquilo tudo, hj já penso como eu conseguia fazer aquilo tudo e ainda continuar vivendo?? rsrs.. beijos Gabri!
Saudadesssss..
Leane

Postar um comentário