sábado, 1 de maio de 2010

Vamos mudar o mundo!

Galera, saia um pouco desse mundinho, desse monitor, dessa bolha, e veja o mundo lá fora. Cheio de injustiça, guerra, desigualdade, corrupçao. Preste atençao que voce tá sendo só mais um. Mais uma cabeça alienada que compoe esse país imundo, de um povo que nao teve que lutar para se erguer e tampouco faria isso agora. Mais um individuo que deixa como está, por comodismo ou por medo de tentar. Mais um cidadao que nao exerce sua cidadania, ao pé da letra. Montemos um movimento!

Cansado desses papinhos? Eu to. Nao gosto de greves, facçoes, movimentos, revoluçoes e afins. Tenho preguiça aliás. Essa galera me dá desanimo, na real. Eles me dao pena, sabe por que? Porque enquanto eu estou aqui de boa, concordando com o sistema, envolvido pelo mesmo, eles estao agonizados, impunes, fazendo passeatas pelas avenidas a fora esperando um pouco de atençao, em vao.

Voces podem me achar burgues, alienado, egoísta, e todos as outras características que a galera do movimento tem no vocabulário limitado deles. Que sao necessárias, pra conseguir mudança, melhorias, óbvio que sao. Nao estariamos hoje como estamos, com a liberdade que temos em vários aspectos sem isso, mas essa nao é a questao. O que me incomoda é aquela galera que tem gosto por aparecer. Que se acha o cara mais sóbrio da sociedade doentia, chama uns amigos, se drogam, se alcoolizam, ouvem uns punks e montam um movimento. Sim, sempre tem que haver um movimento. Inventam um nome qualquer, compoem regras e se acham os caras mais maduros do pedaço por isso, quando, na verdade, estao sendo os mais otários. A culpa é sempre dos outros, a mentalidade pequena, a alienaçao. Passam-se 10 anos e a responsabilidade bate na bunda do sujeito. Percebam se eles mantém os mesmos ideais revolucionários. Eles querem o máximo de descanso disso. Hoje tem filho pra criar, conta pra pagar, trabalho pra ralar, ou seja, eles ocuparam a cabeça com algo. É disso que muitas pessoas precisam hoje. Já ouviram falar no ditado "Cabeça vazia, oficina do diabo"? Entao.

Cair na real, perceber que voce é um grao de areia no meio do mundo é meio frustrante, eu sei. Que todos temos ideais diferentes, ok, mas saiba guardar alguns contigo e sua mente. Nem todos precisam saber disso.

Post inspirado pelo filme "A concepçao" de José Eduardo Belmonte.

5 Comentários:

Zé Abrão disse...

se sei como é. Eu conheço alguns babacas tão contraditórios que o melhor a fazer é ignorar. E aqueles pôsteres do MEPR? Gente ainda falando da Ditadura como se ela ainda existisse. Sério, eles defendem libertade de discurso e expressão fora da dita alienação, mas se o seu discurso for diferente do deles, corre risco de vida.

Jingle disse...

Adorei, Pedro. Esses movimentos realmente cansam. :)

Ciro Moraes disse...

OI, Pedro.

Tenho que dizer que já gostei mais de outros textos seus. Até entendo onde você quer chegar, mas não concordo com a forma como foi expresso aqui. Acho expressões como "eu estou aqui de boa, concordando com o sistema, envolvido pelo mesmo" um pouco perigosas.

Realmente hoje a gente só vê mesmo um monte de discurso vazio que não presta nem como estímulo ao suicídio, que só serve pra fazer uns badabauês se fazerem de cults.

Não sou de tipo de fazer passeatas. Meus tempos de jogar ovo na prefeitura já acabaram (confesso que no único movimento político que fui, o único motivo era a galera que ia junto). Sei que ninguém liga muito pra sair do seu orkut para tentar mudar o mundo. Isso é tipo de umas três gerações atrás, mas o discurso fazendo apologia a isso acho forte demais.

Dizer simplesmente que a Terra é um grão de areia no Universo é o argumento mais fácil do mundo para justificar a preguiça ideológia que todos nós temos.

Talvez não estejamos mais da ditadura de 64, mas acreditar que hoje vivemos num mundo civilizado é o mesmo que acreditar que o Acre existe.

@aurelianoB

P.S. Espero que eu não tenha parecido um abestalhadozinho de 17 anos com a barba grande e uma camisa do Che Guevara...

evy bernardes disse...

Olha meu caros,
que texto mais infeliz
tá legal que opinião pode até não mudar,mas visão de mundo ..é bom que mude,hein
Os movimentos sociais e principalmente estudantis da UFG são em parte fracos,sim mas nunca digam que não servem paar nada.
Quem não se interessa e nem toma parte de seus direitos e só aparece pra criticar - sobretudo a estética - não merece mudança.Aliás, a mudança vem se você mudar.
O moviemnto Fora Arruda foi de iniciativa estudantil e todos viram seu resultado.De qualquer forma,enfrentamos até tiro e cavalaria,mas o Arruda passou uma boa vergonha política e moral.É o que vale,queridos.Fazer a História de uma forma ou de outra,se não for vestindo a camisa e indo às ruas,pagando os micos que dizem que pagamos; seja escrevendo,mobilizando a sociedade parasita e parada que somos.
É muito fácil falar mal,mas até mesmo os carinhas clichês que usam da cara do Guevara em mil estampas iguais de camiseta, até mesmo eles fazem mais que alguém que acha que criticar analisar e etc,é fazer algo.
A fé sem obras é fé vazia.Falar e não fazer melhor é pior ainda,não?
Achei o texto tenso de tão imaturo e peço desculpas por aparecer pouco no blog e ainda só comentar no que eu não gostei.
Mas os tempos estão mesmo mudando e quem faz parte da maioria parada,vai mesmo ter que aprender a educar seu olhar.

Evy

Lavínia B disse...

Meu povo, Evy e Ciro... isso é SÓ um texto que visa divertir quem lê, ninguém segue as opiniões desses três camaradas não kk
é SÓ pra quebrar um gelinho ..
vamo pegar leve aqui (:

Adorei o texto Pedro .

Postar um comentário