quarta-feira, 29 de abril de 2009

Cabelos Sebosos, Um Bigode e Uma Perna.

Inspirado em Ronald Rios (que até chegou na MTV), serei escroto em um post. Não, não vou falar de AIDS. Ainda.

Tem um aleijado aqui em Goiânia, tipo, o cara só tem uma perna. Devem ter vários aleijados aqui em Goiânia, eu sei, mas estamos falando de um em especial. Primeiro, vamos ao fato de ele não ter uma perna. Provavelmente ele não escolheu isso, deve ter sido um acidente ou alguma coisa assim. Tipo, pode acontecer com qualquer um, mas esse cara, justo esse cara, eu aposto que ele mereceu perder a perna. Sério mesmo.
A primeira vez que eu o vi, estávamos em um ônibus lotado, eu sentado, ele, que tinha acabado de entrar, estava em pé, se apoiando em suas muletas, no ferro de segurar no ônibus, na sua perna solitária e nas pessoas, porque aquele ônibus estava realmente cheio. Ah, eu comentei que ele tinha um cabelo grande e bigode? Ele pode não ter escolhido perder a perna, mas foi opção dele ter um cabelo grande, oleoso, pintado de preto, com um bigode imenso. Nada contra o pessoal de bigode, um abração pra gale super faço parte do AMI. Mas o conjunto irrita. E ele ainda não tinha uma perna. Onde a gente tava? Ah, no ônibus. Beleza, ele tava lá se equilibrando no balançar do ônibus quando a moça simpática sentada ao meu lado resolve oferecer seu lugar para que nosso amigo aleijado sentasse. No que ele recusa dizendo "Eu nunca tomaria o lugar de uma dama". CARA, VOCÊ NÃO TEM UMA PERNA, VOCÊ REPAROU ISSO? Quando o cara preferiu ficar lá pendurado do que tomar o lugar de uma dama, eu já fiquei bem grilado. Num cedi meu lugar não. Se ele recusou o primeiro é porque ele não precisa sentar tanto assim. O ônibus parou, todos desceram e eu nunca mais lembrei do sujeito.
Até semana passada. Semana passada, quase um ano depois do ocorrido, estava eu e nosso colega de blog Pedro Vitor indo para a faculdade (em um novo ônibus mais rápido e mais vazio do que o anterior), quando vejo alguém pedindo para entrar por trás (e sem pagar). Era o sujeito, com o cabelo e o bigode mais sebosos, suas muletas e sua perna solitária. Apesar de achar que ele deveria pagar a passagem, nem me incomodei não. O que me incomodou foi, apesar de haver várias cadeiras vazias, ele se manteve em pé em um malabarismo para se equilibrar com sua perna e suas muletas. Mesmo pessoas oferecendo seus próprios lugares para ele (tinha muitas cadeiras vazias), ele se mantia em pé, sendo jogado a cada freiada do ônibus (e sendo acudido por passageiros de bom coração). Prestando um pouco mais de atenção, percebo que ele estava distribuindo um papelzinho para os passageiros, que logo chega a mim. No papel, ele pedia dinheiro para que ele pudesse sustentar as três filhas (entre elas uma recém nascida). Ah, então ele num tem perna mas tem um pinto que compensa, né? E porra, ele perdeu uma perna, isso não o torna inválido para trabalhar não, cara. E ele precisa distribuir um papel porque? Ele não sabe falar mais não? Muito pelo contrário, ele falava muito bem com quem puxava assunto com ele. Deram algumas moedas pra ele, mais algumas freadas, mais passageiros ajudando, ok. A vida segue.
Até essa semana. Essa semana, estava indo para faculdade, sozinho dessa vez. Quando olho na janela do ônibus e vejo O MESMO CARA tentando atravesar a rua. Fora da faixa, em uma rua movimentada, desviando dos carros, quase morrendo atropelado. Por um momento, eu até tive pena. Porra, o cara só tem uma perna, tá tentando atravesar a rua. Só que UNS DEZ METROS de onde ele tava atravessando, tinha uma faixa de pedestres, com semáforo e tudo. Cara, porque ele não andou dez metros pra poder atravessar de forma segura a rua? Afinal, ele esqueceu que só tem uma perna? Aquelas muletas não dizem nada pra ele?
O cara ser aleijado não é culpa dele, de forma nenhuma. Mas cadê a humildade pra aceitar a ajuda dos outros? Cadê a vontade do cara de não ser só um aleijado? Cadê o bom senso de perceber a situação que ele se encontra e se preservar? Ficar se fazendo de coitado, que cai no ônibus a cada freiada não funciona comigo não. Senta, amigo. Senta que você vai parar de ser jogado. Para de ficar exibindo a sua falta de perna como se fosse um prêmio. Para de pedir dinheiro, você perdeu uma perna, num morreu não. Para de fazer filho se você não pode sustentar. E, puta que me pariu, corta esse cabelo e esse bigode.

Um abração pra galera do American Mustache Institute!

11 Comentários:

Gabriel Mota disse...

Caaaara...
Super entendo ele, deve querer mostrar que sabe andar de uma perna só. Mas a fita do papelzinho pedindo grana foi pra acabar...

Vou dar uma de Tia Andréa e dizer PORRA, VAI TOMAR NO CU!

erli disse...

cara, isso eh foda mesmo, pq o preconceito ainda eh grandes contra deficientes, mas hoje em dia há varios projetos de inclusao e ajuda a eles... o problema eh que grande parte dos deficientes não querem ser ajudados, e nem lutam, ao menos um pouco, para acabar com esse preconceito, acham que por terem uma deficiencia o mundo acabou pra eles, o que não eh verdade... temos vários casos de pessoas que lutam contra isso e conseguem ter uma vida normal, ou quase.

Andréa disse...

Gabriel, valeu por se lembrar de mim. Isso aí é amor, manow.
É, ser aleijado é phoda. Mas ser aleijado com pinto trabalhador irrita né? É, porque se vc não pode pagar 2,57 no litro de gasolina, vc não pode ter um carro. E por analogia, se vc não pode se sustentar vc não deveria ter um filho! Além do cara não ter uma perna, não trabalhar e ainda ficar nos enchendo o saco pedindo dinheiro? Cara, a Tyra deve te desprezar.
Eu tenho uma irmã que não tem um braço. De verdade. Tá certo que ela é minha meio-irmã, é filha do meu pai, mas é minha irmã. Aí eu te pergunto, vc acha que ela se faz de coitadinha? Coitadinha é o cacete! Ela vai a festas, namora(ou tem seus rolos), trabalha e faz faculdade. Ela não tem um braço, mas tem uns peitões e uma cara de boneca. Ela é linda! E quem disse que ela algum dia teve algum privilégio? Ela nunca aceitou a ajuda de ninguém, sempre tentou ser independente e tá fazendo sua própria história...

Juliana, vc não vai ler isso aqui, eu sei, mas te admiro gata!

Gabriela Magnani disse...

Que foda heim!

pedrovitor disse...

MORRI COM A PARTE DO PINTO. AEIUHAEHIUAEHUIAEIUEA

velho, te contei que esses dias eu tava indo pro trabalho e tinha um cara sentado no assento pra deficientes e um deficiente com muletas sentado na cadeira normal. Daí o amigo não-deficiente falou pro 'sem-perna': "ou, quer sentar aqui?". Acredita que o aleijado grilou, pagou de gatinho, e falou tipo "CE NUM PODE SENTAR AÍ NÃO, VOCE É DEFICIENTE? GENTE SEM PERNA SOFRE COM ESSE TIPO DE PESSOA", e cara, simplesmente começou a ameaçar o velho com a muleta dele. Do nada o aleijado deu uma muletada no velho, só que o ninja escapou. Geral do onibus assustou pra caralho, afastou um pouco do insano e ficou olhando meio O___O. Não sei porque, mas eu ria. Cada coisa que eu vejo pelos ônibus da cidade...

Pedro Lobato disse...

Caraca! Faltou terminar com você olhando pra fora e o aleijado na verdade finge que não tem uma perna (sabe Deus como se finge isso...) e com o dinheiro arrecadado do ônibus vai comprar cerveja!

Gih Bonach disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabela disse...

esse cara aí é o cowboy. ele tem até um cinto,com uma fivela escrito 'cowboy'. ele era policial,eu acho,mas aí ele perdeu a perna e foi despedido. pelo menos é o que ele conta. ele é massa, ou, vou ter que boicotar esse seu post tbm. e acho que ele compra cerveja com o dinheiro que ganha sim,ele parece tá sempre bêbado, e eu não tiro a razão dele não...

Vanessa disse...

Dá um desconto, o cara num tem uma perna!

Andressa Símaro disse...

UHAUHSUHAUHSUAHUSHAUHSUHAUSHAHAUHSA o cara é muito eficiente.. mesmo sem a perna consegue satisfazer seus desejos
coitado, deve ser bem desagradel viver sem uma perna, mas nada que a humildade não ajude=)

Mari *-* disse...

EURIDEMAIS HASUDHAUSDHIASHUASDHIASHDUASHDUAIHDISUAHDSUIADHUIASHDIAUHD aah como eu amo esses posts <3 vlw ai toscano xD

Postar um comentário