quinta-feira, 20 de agosto de 2009

"Sentido!" quem?

O 18° aniversário de qualquer cidadão é um marco. Depois disso (e só depois disso, ca-ham), você pode beber, você pode fumar, você pode entrar em boates e pubs, e sabe o que mais? VOCÊ PODE SER PRESO! YES, you can! Mesmo porque todos nós, brasileiros, desde de nosso nascimento, sempre quisemos ser presos, né? Enfim. Mas como nem tudo são rosas, há um impasse. Agora me referindo exclusivamente dos cidadãos do gênero masculino: o tão temido EXÉRCITO.

No ano em que o aborrecente djovem completa 18 anos, o mesmo deverá se alistar. É um compromisso militar, um dever do cidadão (Aham, Cláudia, senta lá). Não vou me prolongar no quesito alistamento. Para saber mais, clique aqui. Vamos agora pra segunda parte: apresentação. No dia do alistamento, eles te dão uma data pra nos apresentarmos novamente à Junta Militar. Normalmente em... agosto. Sim, eu tive que voltar e olhar pra mesma mulher que eu gritei. Mas essa não é a pior parte. Chegaremos lá. Ela disse pra eu me apresentar dois dias depois no quartel. Não gritei dessa vez, só pra constar. Peguei meu papel e voltei pra casa. Eles marcam a apresentação pra 6h30 da manhã. Só que eles não pensam que o quartel fica no inferno outro lado da cidade. Meio que: "AH, EU SÓ ME FODO AQUI, TAMBÉM VOU FODER COM GERAL. QUERO GERAL ACORDANDO 5H DA MANHÃ MUAHAHAHA". Bem isso. Tudo escuro. Você acorda e xinga o exército em todos os idiomas. Olha pela janela e vê a cidade dormindo. Vê aqueles símbolos referentes ao sono ("zZzZz") em cima de cada casa. Juro que dá vontade de sair pela cidade num trio elétrico, com um rock à la Brujeria, buzinando, gritando "AE FILHA DA PUTADA, ACORDA AE TAMBÉM CARALHOOOOO. YUHULLL". Ok, chegando lá, já somos bem-recebidos. O muleque da minha frente saiu da fila e andou em direção ao soldado.
- AE, MULEQUE. VOLTA PRA FILA.

- Não, mas eu...
- VOLTA PRA FILA CARALHO!


Eu-tremi-as-bases. Soldado é tudo cuzão, né. Galera sofre tanto por ser um nada lá dentro, por ter o nível mais baixo de poder que, quando tem vê alguém que se encontra abaixo do seu medíocre posto, esbanja tudo que tem direito. Bem, voltando. Fiquei numa fila com mais uns... 50 cuecas. Tava um frio do caralho! (levem agasalhos, baixinhos!) De tempos em tempos, um soldado vinha e escolhia uma galera mais alta e forte pra ir pro final da fila. Me emborquei pra disfarçar a altura. Mas não poderia deixar de lembrar do herói do dia: um dia antes eu mandei fazer o óculos de grau que eu precisava há uns... 3 meses. Fui com o próprio. E vocês devem saber, pessoal de óculos lá é um inválido, um nada, ou seja, dispensa na certa, e era isso que eu queria. Não fui escolhido, como vocês já devem ter concluído. Eu e a galera cega fomos ver uns vídeos egocêntricos do exército e logo depois veio um soldado (ou cabo, general, ou qualquer coisa *eles usam o mesmo uniforme e eu não sei diferenciar um cargo de outro*) falar do quão sensacional é fazer parte da "equipe patriota militar de defesa ao país". "Seus pais se orgulhariam". Ok, all I could hear were 'blablablabla...'. Depois começaram a chamar nomes e dar senha a cada indivíduo. Logo após isso um soldado veio e me perguntou:
- Quanto é seu grau?

- Erm... 1.

- Só um?


Essa é a hora que eu pensei CARALHO, POR QUE VOCÊ NÃO DISSE 8,5 EM UM OLHO E 12,7 EM OUTRO? Enfim, já era. Mas o indivíduo tava em um bom dia e me mandou pra fila dos cegos. Relaxa, não vou prolongar essa história. O fato é que só nos perguntaram qual defeito visual temos e depois já nos mandaram pra cabine de dispensa. Quando eu vi a placa da cabana (sim, lá a galera jura que tá numa floresta e monta barracas em todo lugar) "ÁREA DE DISPENSA" eu parecia um africano quando vê um sanduíche, um soldado quando vê um conscrito ou até o Toscano quando vê um CD novo do Fresno. Ri internamente. Fui dispensado em 1 hora e 50 minutos. Saí do quartel 8h20 enquanto a galera tava fazendo mil exames, vendo palestras e aturando conversa de soldados loucos (sim, tinha um que toda hora falava "Ronaldo". Sim, aleatoriamente. A galera do futebol toda ria e enquanto isso vinha um "Q" na minha cabeça) até umas 2 da tarde. Nesse quesito nada a reclamar, Exército mandou super bem.

Venho por meio desta pra dizer aos indivíduos (que não se apresentaram ainda) que não querem servir: inventem, antecipadamente, impasses. Eu tenho sim problema de vista. Sutil, mas tenho. O fato é que qualquer um poderia botar um óculos e dizer que tem defeito visual. Não fizeram
NENHUM exame médico. Nada. Não que eu tenha achado ruim, rs. Essa é a hora de se olhar no espelho e se orgulhar de cada defeito. "OLHA MOÇO, EU TENHO DALTONISMO, ANEMIA, ESCOLIOSE, DERRAME NO JOELHO, AIDS E... VÊ UM... *olha o cardápio* COÁGULO NO CÉREBRO, POR FAVOR". Assim todo mundo fica feliz. Você fica feliz por ser dispensado, os conscritos que querem servir também e o Exército de não ter pego um picareta como você (ou eu).




[UPDATE]
Tem um cara que se chama Pedro Lobato e esse cara tem um blog chamado Papo de Jaca (Além de escrever para o Almanaque Virtual da UOL). Ele não é só "mais um leitor" do RisosPonto, ele nos acompanha desde que começamos a esboçar o projeto desse blog, sendo o primeiro a ler a maioria dos posts (antes de nós mesmos do blog), saber das novidades antes de todo mundo e sempre dar sua opinião sobre o que deve ser escrito e como está os textos. O que aconteceu foi o seguinte: o Pedro Lobato tem um ótimo texto sobre alistamento militar e uma simpática leitora (Oi, Poliana!) apontou semelhanças entre os dois textos. O Pedro Lobato é nosso amigo, sendo muitos textos originados de conversas envolvendo ele. O assunto é o mesmo, porém a forma e a abordagem como foi apresentado cada texto se diferencia pelo estilo e experiência pessoal de cada um dos dois autores.
Nós do blog RisosPonto não apoiamos nenhum tipo de cópia e "kibagem", primando por textos autorais. Pedimos desculpa se causamos qualquer tipo de transtorno para o Pedro Lobato que, mais uma vez, é muito mais que um leitor, é um AMIGO.

21 Comentários:

Poliana disse...

Déjà vu: http://papodejaca.blogspot.com/2009/07/compromisso-militar-my-ass.html

É tão linda a coincidência. Pena que eu não acredito. :)

O Mundo de Manzi disse...

1h e 50 min? Isso é um absurdo! Na minha época fiquei 6h em pé! Francamente, essa geração anos 90 ta muito folgada =P

fabianne falcao disse...

"[...]ou até o Toscano quando vê um CD novo do Fresno." ri alto aqui.
Se cuida quem tem porte de atleta!
3bj

Débora S. disse...

''eu parecia um africano quando vê um sanduíche, um soldado quando vê um conscrito ou até o Toscano quando vê um CD novo do Fresno.''
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Isso foi engraçado ;pP

yasmin disse...

eu parecia um africano quando vê um sanduíche

PEDRO
tu é muito o máximo
to rindo ainda aqui talokooooooo!
ahuaehheua :D
muuuuuuuito bom o texxxto!
apesar de que eu acho exército o máximo e queria entrar, mas pra mulher não é assim fácil...
nessas horas eu até queria ter nascido com um penis HAHAHAHAHAHAHA mas não.. weelll...
vou continuar só cantando
ma oeeeeee
kkkkkkkkkkkkk

Pedro Carvalho disse...

Não sabia que temas em comum era anti-ético. O fato, Poliana, é que estamos no mês das apresentações militares. Assim sendo, são assuntos que tanto eu, quanto meu amigo Pedro Lobato (Papo de Jaca), vivenciamos há pouco tempo. E vem cá, não me culpe se não há muita diferença entre uma apresentação e outra. É tudo muito sem criatividade mesmo. =D

Poliana disse...

Pedro, com todo o respeito, nós dois sabemos que rolou mais do que "tema em comum" aqui. ;) Mas tá beleza, mudou o título, mudou TUDO, né? Iuhul!

Pedro Carvalho disse...

Vou responder só por respeito ao Pedro Lobato, não costumo dar trela à opiniões equivocadas. Você bem deve ter visto, através do link que você mandou, que eu comentei no texto dele. Sensacional texto, por sinal. É um assunto que sempre conversamos e rimos muito por msn. O fato é que realmente de uma apresentação pra outra não muda muita coisa, e se você for observar, mesmo assim, só podemos pegar como semelhanças o frio e o fato de acordar 5h da manhã. Pode listar mais o que quiser aí. No texto do Jaca, há muito mais detalhes, e etapas pelas quais (você sabe se tiver lido meu texto) eu não passei. O título é algo que eu realmente não entendi. Acho que por ter lido o texto dele há pouco tempo fiquei com aquilo no subinconsciente, e na hora de escrever meu texto me veio isso na cabeça, e esse tipo de coisa eu não admito, por isso mudei. Estava realmente (praticamente) igual. Mas enfim, isso nem deveria estar sendo discutido. Aposto que o Lobato está rindo disso tudo... então baixa a bola e arrume mais propriedade em seus argumentos antes de vir pagar de ética por aqui.

Poliana (a.k.a.: a voz da sua consciência! Uhhhh!) disse...

Esse pessoal que dorme na aula de literatura É DOSE. TEMA é uma coisa, ESTILO de escrita é outra. E subconsciente... essa é boa, hein? hohohoho Até ri. :) E não é uma questão de "baixar a bola", eu nem tô te ofendendo, se você realmente estivesse em paz com a sua consciência (ou com seu subconsciente levadinho, como quiser), nem se daria ao trabalho de me responder. ;D Passar bem! :*

Gabriel Mota disse...

Ah gente, para.

Alistamento é tudo igual.

Pedro Lobato disse...

Fala galera!
Pois é, a galera mais atenta vai ver que tô sempre comentando nos posts daqui então não preciso nem confirmar que sou muito fã desse pessoal.
Quanto ao acontecido, foi só um mal entendido e acho que uma falha de comunicação também. Não houve plágio do texto e sim um certo "intercâmbio de idéias" porque (como falado no update) conversamos bastante sobre nosso cotidiano (e rimos bastante disso por sinal), e esse assunto do "Alistamento Militar" foi um tema bastante discutido em conversas entre eu e o Pedro Vitor.
Não há o que ser discutido ou o que brigar. =D

---------------------------

Agora o meu comentário: Porra Pedro! Foi bem moleza pra ti em! HAHAHAHAHAHAHA Eu ainda vou ter que voltar mais uma vez naquele maldito lugar. XP

Ciro Moraes disse...

Desculpa, mas o fight do Pedro e da Poliana superou o texto...

E eu não precisei passar por isso. Fiz o alistamento numa cidade pequena no interior da Bahia. Eles nem devem saber que eu existo...

mariana ♪ disse...

morri de rir como sempre haha. Deu sorte de ser cegueta HIFUHSF salvo pelo óculos hm. "eu parecia um africano quando vê um sanduíche" HIUFHDSFUIHDFIUHDUIFHIHFDIU adooooro.

Zé Abrão disse...

eu nem preciso esquentar: tenho miopia, escoliose e estou 7 quilos abaixo do peso...

Guilherme Toscano disse...

Muito bom o texto, PL! Ops... PV, i mean.

Ana Carolina disse...

Cara, por que o exército chamou meu ex-namorado pra servir?
Fala sério, fiquei quase um ano sem ver ele direito, sem sair com ele direito e tudo culpa do "serviço militar".
Por isso que é ex-namorado, nunca ia dar certo assim.

Tá, parei.
hahaha


adorei o post, PeduVitu. ;)

@CarolinaMourao
ps.: todo mundo já sabe quem eu sou e meu twitter tá mais desatualizado que tudo.
[/odeiovestibular]
Só pra variar um pouco.

Beijos e queijoscompresunto num pão quentinho. =*

thaís coelho disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk mto bom o texto :D

Nýne Bacchi disse...

"...ou até o Toscano quando vê um CD novo do Fresno."

kkkkkk' ri demais aki.
-------------------------------------------------
Pedro Vítor, acho ridículo, mas infelizmente existem pessoas pra contestar sua criatividade. Li os dois textos e o que pode ter acontecido com certos leitores é a falta de interpretação mesmo.. Parabéns cara, vc é demais! :D

Beto disse...

Exército: um ano perdido na sua vida! hehehe

Samila Neres. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gui . disse...

Veeyy.. QSÁFALANOO ???

Postar um comentário