domingo, 18 de abril de 2010

Risos. ensina: Como curtir a noite numa boate.

Não, não preciso de abóbora ou de qualquer outra coisa pra me transformar. Como poucos já me viram saindo à noite para boates e como sempre me perguntam o que eu achei da festa, resolvi fazer meu relato de participação em casas de festinhas badaladas ou não. Aproveito e ensino a vocês mais dicas preciosas de como fazer alguma coisa interessante.
Vocês eu não sei, mas apesar da minha aparente veia cômica, quando eu chego na baladinha, ainda mais em alguma boate, meu primeiro passo é, se possível, encontrar uma parede ou algum pilar. E não é para começar meu número de Sex-o-matic, mas é porque eu me sinto um pouco incomodado em um lugar fechado com pouca luz, muita fumaça, som alto e gente que se já não bastasse eu nem reconhecer por conta da escuridão, é gente que eu não conheço mesmo.
ESTÁGIO UM: RECONHECIMENTO DE TERRITÓRIO.
"Mas, ai, Gabriel! Se socializa, faz amizade..." Sim, faço. Mas na área externa da boate. Sabe aquela área pra fumantes? Pois é, lugar perfeito. Cê chega lá, dá pra conversar de boa, ouvir o que a pessoa te responde... E você ainda tem de fundo o batidão do DJ! Serve também pra você descansar depois de quase cair porque um bêbado se esbarrou em você. E depois, quando você passa a falar mal das pessoas do lado porque 1- A moça estranha foi praticamente fantasiada de Kill Bill (com roupinha amarela com listra preta e unhas amarelas combinando com o resto) ou 2- O pessoal tá dançando muito esquisito e eu não tou conseguindo acompanhar; você vê que é hora de sair do meio da pista e ir descansar. Então vocês me veem agora no segundo estágio da noite:
ESTÁGIO DOIS: ANÁLISE DO AMBIENTE PARA O SEU ENQUADRAMENTO NO MEIO.
[/nome de palestra de firma]

Você já descansou, já riu, já falou mal da moça estranha que foi praticamente fantasiada de Kill Bill (com roupinha amarela com listra preta e unhas amarelas combinando com o resto) pra metade da festa que tava fumando lá fora, é hora de voltar pra pista, comprar sua bebida e cair na badalação. Toca Ke$ha? Dança. Toca Lady Gaga? Dança. Kelly Key?? Daança. Tati Quebra-Barraco? Desce até o chão e chama a amiga pra ir junto. Você praticamente entra em transe até o momento em que percebe que fizeram uma rodinha ao redor de você e quando você vê, tá todo mundo te olhando com aqueeela cara de felicidade com um "continua, maluco" no olhar de cada um. Ou algo semelhante a isso.
ESTÁGIO TRÊS: SOLTANDO O JACARÉ QUE EXISTE DENTRO DO SEU É O TCHAN.

Os leigos ou os comportadinhos parariam por aqui. Para os pervert... experts de plantão, temos mais. Se tem segundo piso na boate, você não pensa duas vezes. Se é piso compartilhado com todo mundo ou se é área Vip não importa. O bom (insira aqui seu substantivo) dá um jeito de subir para realizar o:
ESTÁGIO QUATRO: A HORA DO CORRIMÃO.
É ali que a abóbora do início ganha corpo e vira sopa. Geralmente lá pelas 4 da manhã, quando a boate tem apenas os seres loucos como você, é a hora do ápice da noite. Funk rolando solto lá embaixo e você ali, olhando para aquele reluzente corrimão e sua amiga descansando no sofá do lounge ali do lado. Você olha pra ela, ela finge que não te viu, você a arrasta e começa a coreografia a três: você, ela e o corrimão. Mas não se importe, às 4 da manhã o pessoal que tá lá em cima tá louco o suficiente pra entrar na onda com você e o pessoal debaixo vai estar igualmente louco a ponto de nem se preocupar em olhar pra cima pra ver o que anda acontecendo.

Mas aí depois de tudo temos enfim o estágio final:
ESTÁGIO CINCO: "QUEM, EU?"
Você simplesmente se despede dos amigos que ainda permanecem no local, desce pra pista de baixo, passa por todo mundo como se não tivesse ninguém ali e sai, como se nada tivesse acontecido dentro daquele local. Simples. Você não fez nada, você não dançou até o chão. Você simplesmente passou a noite toda bastante confortável no sofá da sua sala vendo as perguntas de sexo no programa do Serginho Groisman.

Incrível como sempre tem uma pessoa que diz ser eu e que apronta todas por aí. Ah, se eu descubro quem é...

11 Comentários:

Anônimo disse...

CARA MTO BOM KKKKKKKK ABS

Pedro Carvalho disse...

Estágio 4 eu sei. Sei bem, aliás. Quer dizer, a gente sabe bem. hahahaha

Guilherme Toscano disse...

Eu curto a área externa reservada pra fumantes porque geralmente lá é o único lugar onde as pessoas não estão fumando e é possível respirar. Mas no mais é isso aí, pegação rolando solta, galerada descendo até o chão e eu ali no canto tentando conversar com alguém.

IsaPriore disse...

KSLÇDKFÇLKSDLÇFKLKÇ adorei.. fazer amizades é importante pô, ainda mais quando tem moça estranha que foi praticamente fantasiada de Kill Bill (com roupinha amarela com listra preta e unhas amarelas combinando com o resto)KKK
Pedro Carvalho de DJ na foto, oi

Zé Abrão disse...

eu só fico nos estágios comportados, mas é porque eu sou leigo mesmo.

Anônimo disse...

Gabriel, vá mais vezes para a balada! KKKKKKKKKKKKKK

Karine disse...

Ohh, dizer que desde que descobri esse site, adoreiiii e tenho visitado com frequência!
Ótimos textos =)
ganharam uma leitora da capital mineira hah

Beijos !

Tamara disse...

UHSUhsuhUHSUhushuHS .. muito bom *-*

"passa por todo mundo como se não tivesse ninguém ali e sai, como se nada tivesse acontecido dentro daquele local. Simples. Você não fez nada, você não dançou até o chão."
HUAHUhsuUHSUhshuHSUHushuHUShs .. é por aí mesmoo xD

Gabriel, vá mais vezes para a balada! KKKKKKKKKKKKKK [2]

Ontem foi a primeira vez fui na balada que costumo ir após a reforma. Quando entrei vi perto do Dj dois polidances e perto do bar uma jaula, JAULA :S
Só quero ver a baixaria que vai dar quando eu aparecer na sexta por lá (dia de funk) >.<

Posso trocar o corrimão pelo polidance ?!

Maria Luísa disse...

Mto bom, o pior sao os q perdem alguns estágios pq antes mesmo do estágio 3 ja cairam no sofa da boate e so levantam no final do 5º! kkkkkkk

Brê. disse...

Nunca fui em uma balada e nem pretendo ir por causa disso aí. Provavelmente irei com uma amiga muito louca que vai beber até ficar muito mais louca ainda e com certeza vai vomitar nos meus seios, hahaha. E eu ainda vou ter que levar pra casa, aí ninguém merece! Sou bem aquela que sai pra fora pra fumar mesmo, apesar de ainda não fumar. Mas quanto a parte de perguntar ''Quem, eu?'' já aconteceu comigo uma vez. Foi tão crítica a coisa que nem vou contar aqui, rs. Mas amei esse post! Boas dicas... ;)

Anônimo disse...

Balada na Moon Black?

Postar um comentário