quinta-feira, 22 de abril de 2010

Antes sujo que desanimado

Este texto contém material inapropriado para frescos que nao sao adeptos a baixaria, xingamentos e/ou principalmente pornografia verbal. Pare por aqui ou tire as crianças da sala e aproveite cultura inútil.

Começando um texto do risosponto totalmente diferente. Voces, leitores, sabem bem o estilo de todos os autores. Da fofura do gabriel, da sinceridade do toscano ou das minhas cuzisses polêmicas. O último post você se atualizou de dicas para se comportar na balada sem ter problema futuros, e hoje eu vou pegar um gancho e discorrer sobre um assunto que me ocorreu há cerca de um ano. Vamos falar de funk?

Quem me conhece há algum tempo suficiente sabe que eu era totalmente intolerante ao funk. Achava um estilo de música chato, repetitivo, e vulgar acima de tudo. Ficava abismado ouvindo. Nao gostava que minha (agora ex) namorada dançasse. Me incomodava. Até que chamaram em mim e falaram algo com muita propriedade: funk nao se é pra apreciar, é pra espantar os males. Curtir o batidao, mexer o popozao.

Fiquei com aquilo na cabeça e quando eu vi eu já tinha toda discografia de funk e estava gostando. Mas como você pode mudar de gosto tao rápido, Tio Pedro? Te digo, leitor! O que eu nao suportava era aquele tipo de funk de novela das 8. Sabe aqueles funks romanticos? Aqueles que os MCs querem botar alguma letra coerente? "Mas eu só quero é ser feliz...", "Glamourosaaaa..." ou "E essa festa é só zoeeeiraaaa, é só zoeeiraaa". Porra, se é pra ser funk, que seja sujo. Que seja pornográfico, que quando eu torcer a música saia só piroca, piru, xereca, cacete, espanhola, frango assado e afins. Tem que se ver aquilo com outros olhos. Sem julgamento, sem muita expectativa intelectual. Nem os MCs têm. Ou voce acha que aquela mulher que canta "Vem amor bate nao pára com o piru na minha cara" gosta de ter uma imagem de biscate diante do morro inteiro? Que ela canta "Se o piru é tao pequeno eu prefiro sentar no poste" realmente desejando ser arrebentada no meio? Que "Relaxa na xota" foi feito porque ela realmente queria que os "novinho safado" relaxassem na... enfim.

Eu gosto de funk. E muito mais: eu danço funk! E melhor: mando super bem. Por ser mundialmente conhecido por essa área da cultura, já fui convidado pra ser responsável por tocar essa vertente em baladinhas. Toco, danço, a galera choca a mente, mas depois de 5 minutos o moralismo e a dignidade vai pro chao e todo mundo atras buscar:

CHAO CHAO CHAO CHAO, ATÉ O CHAO.


Para rever o vídeo do Gabriel Mota e Pedro Carvalho dançando Deise Tigrona, clique aqui.

8 Comentários:

jéssica santana disse...

eeeeeeeeuri.
meu sonho de consumo ver o pv dançando funk.
prontofalei. :*

Zé Abrão disse...

F*CK YEAH!
funk sempre diverte uma festa.
Ei, quero sugerir um tema sobre uma coisa que eu já passei no meu blog e vocês já passaram aqui: trolls de internet.

Mahara disse...

Sinceramente não esperava que de trás de uma mente
tão crítica e inteligente, pudesse formular um texto tão ridículo e sem graça =x

Já escreveu coisas melhores, bem melhores!!

Maria Luísa disse...

vc não gostava de funk, maaas me lembro bem das festas de 15 anos, Pedro!kkkkkkkkkkkkkkkkk
e mandou bem mesmo, não só dançando mas tocando tbm!
agora vc e o DJ q ta "bombando no momento"!
kkkkkk
bjossss

Anônimo disse...

hahahaha, pra quem nao viu o pedro dancando funk ainda é só ver o video do sex-o-matic e se apaixonar ;)

Tamara disse...

Um pouco antes de entrar na faculdade eu ainda não gostava muitoo e morria de vergonha de dançar, de quicar no chãoo e aquelas gemidinhas me deixavam extremamente constrangida!
Maaas, muitos churrasquinhos pra lá e pra cá, geral quicando no chão e fazendo simulação de sexo .. e a vergonha se foi, se deixa até em festa infantil do dançando >.<
HSAUhsuhUSUhsuHUSHuhsh

Eu gosto dos dois funks, o romântico menos.. mas não achoo ruuuuuuuuuuuuim não!

Gabriel Mota disse...

Ae, meu parceiro de baladas funkeiras!!!!!
Gostei de ver!
E lembrei do dia que a gente fugiu da aula de manhã da faculdade pra beber no bar em frente ouvindo proibidões. Só não faço isso com você amanhã de novo porque amanhã é dia de apresentar trabalho por lá.

Brê. disse...

Eu acho é que eu deveria mandar esse post pros meus amigos. :D Conheço uma cambada de gente que acha funk uma merda, mas sabe que no fundinho gosta um pouco. Eu, por exemplo, posso negar até a morte que gosto de funk - na maioria das vezes por causa das letras - mas sei que quando toca o batidão eu sei a letra, hahahah. Enfim, pessoas ecléticas são assim. Não adianta mudar, porque tem sempre algo no fundo da alma te chamando pra dançar. \o/

Postar um comentário