domingo, 31 de maio de 2009

Era uma vez... (Os Três Porquinhos)

Era uma vez três porquinhos. "Fodam-se os porcos. Que que eu quero com três porquinhos?". Ai meu saco. Era uma vez três porquinhos antropomórficos, tá melhor? Eles falavam, andavam e viviam como humanos. E, apesar de já estarem com quase 40 anos no lombo, ainda moravam com a mãe, numa casinha no campo. Dois dos porcos eram muito folgados e passavam o dia inteiro tomando cerveja e vendo jogos de futebol e reality shows, enquanto o porco mais novo ajudava a mãe com o serviço de casa. Cansada daquela putaria na casa dela, Dona Porca resolve tocar os filhos de casa para que eles arrumem uma vida e aprendam que a vida não é fácil desse jeito. O Porco mais novo [SPOILER]que é o que vai se dar bem no final[/SPOILER], muito compreensível, resolve sair de casa também para servir de exemplo pros irmãos, apesar do protesto da mãe pra que ele ficasse. E lá se foram os três porquinhos arrumarem uma vida. Como Dona Porca era muito bondosa, ela fez um trato com eles: ela daria uma verba pra cada um para que eles construíssem uma casa e, assim, não ficassem tão desamparados (Dona Porca vivia da pensão deixada por seu ex-marido Napoleão, herói da famosa Revolução dos Bichos). O porco mais velho, de nome Kiko Cícero, já era um cara vivido e malandro (só não era mais malandro que o cavalo marinho que...), pensou: "Pô, to aqui com mil dinheiros e vou gastar tudo numa casa? claro que não, vou gastar em bebidas e porcas!" E lá se foi Cícero para para Las Vacas, cidade conhecida mundialmente pela jogatina desenfreada e casamentos impulsivos, com a intenção de fazer os $1000 dinheiros virarem uns... sei lá, $1012 dinheiros. Infelizmente as cartas não estavam do lado dele aquela noite e os mil dinheiros viraram 12 dinheiros. Cansado de perder, Cícero sai de Las Vacas e volta de carona com um caminhoneiro pra sua terra em Piggsburg para finalmente construir sua casinha. Com sua verba consideravelmente reduzida, o que sobrou para Cícero foi construir uma casa de palha lona. No morro mesmo. E roubando energia elétrica da casa vizinha. O porco do meio, que se chamava Heitor, também recebeu $1000 dinheiros para construir sua casinha. O problema é que Heitor tinha um vida paralela. Heitor era rapper, conhecido na noite como MC Hammer. Apesar da fama nas quebradas, a carreira musical não dá dinheiro pra ninguém, então o máximo que ele conseguia era um desconto nos açougues da região, o que, convenhamos, não vale nada em uma terra de porcos. MC Hammer, como prefere ser chamado, pegou o dinheiro de sua mãe e fez o que pode. Construiu uma casinha de madeira mesmo, daquelas que na primeira época de seca da região pega fogo, sabe? E lá ele ficou morando, tranquilamente. O último porco, o mais novo, o mais responsável dos três, se chamava Gabriel Prático, mas com um nome escroto desse ele preferia que chamassem ele de Júnior, por mais que ele não tivesse o mesmo nome do pai. Júnior pegou o dinheiro da mãe e investiu em uma loja no ramo de sofás de couro. Em um mês, Júnior já tinha construído uma mansão (de tijolos!) em um condomínio fechado no subúrbio da cidade onde moravam. E lá ele saia todos os dias pra balada e voltava com duas porquinhas em seus braços que acabavam dormindo por lá mesmo. Mas nem tudo são flores na vida dos nossos três intrépidos heróis. Existia um sujeito na cidade conhecido como "Lobo Mau". Ele tinha esse apelido basicamente por ele ser um lobo e... por ele ser mau, daí o nome "Lobo Mau". Lobo Mau era doido. Sério mesmo, insano. Daqueles que perseguem meninas com chapéus vermelhos em florestas, sabe? Então, Lobo Mau era louco. E mau. O fato é que o Cícero, o porco mais velho, devia uma grana pra ele no poker, e se tinha alguém que o Cícero não deveria dever dinheiro esse alguém era o Lobo Mau. Certo dia, na verdade no fim da madrugada e começo do dia, 5 da manhã, Lobo Mau sobe o morro pra acertar as contas com o Cícero. Ele bate palma pra acordar o porco (casa de lona não tem campainha):
Lobo Mau - ACORDA, SEU PORCO MALANDRO.
Cícero - Porra, Seu Lobo, isso são horas? Tava dormindo...
Lobo Mau - É sempre hora pra eu pegar o que é meu. Cadê meu dinheiro?
Cícero - Dinheiro? Caralho... Então, é... Pô, eu precisava dum lugar pra morar, minha mãe me emprestou o dinheiro, tudo que eu tinha eu usei pra construir esse puxadinho aqui no morro. Dá um desconto aí, Lobão!
Lobo Mau - Você tá me zuando, né? Pode falar, é pegadinha. Cadê a câmera, hein? EU QUERO A PORRA DO MEU DINHEIRO. VOU QUEBRAR ESSA CASA SUA E VOU TE CAÇAR ATÉ A MORTE PRA PAGAR MEU DINHEIRO.
Nessa, o Lobo Mau dá um chute no pau do Cícero da barraca, e a casa de lona vai ao chão. Lobo Mau vai embora, grilado. Cícero, sem saber o que fazer, vai pedir ajuda ao seu irmão do meio, MC Hammer (não confunda com McHammer, sanduíche de presunto do McDonalds), em sua pacata casa de madeira. Chegando lá, Cícero fala com seu irmão que estava precisando de um lugar pra ficar uns dias, apesar das negativas iniciais, ao Cícero apelar para o lado emocional ("Eu sempre deixei você ganhar no Street Fighter"), MC Hammer acaba cedendo e deixando o irmão mais velho dormir uns dias lá. Mas a vida... a vida é uma caixinha de surpresas. Numa bela manhã de sol, MC Hammer e Cícero jogando Sunset Riders, batem na porta (afinal, agora tem uma porta pra bater), e, adivinha quem é? Sim! O Lobo Mau!
Lobo Mau - Cadê o Cícero?
MC Hammer - Tá ali, dentro. Entra aí, você é broder dele?
Cícero - [Slow Motion]NOOOOOOOOO![/Slow Motion]
Lobo Mau - VOCÊ TÁ AÍ, NÉ SEU PORCO MALANDRO, CADÊ MEU DINHEIRO?
MC Hammer - Que dinheiro, Ciça?
Cícero - Ah, esqueci de comentar, Mac. Eu saí de casa porque eu tava devendo um dinheiro do poker pro Lobo e não paguei, aí ele derrubou minha casa...
Lobo Mau - VOCÊ NÃO TÁ COM MEU DINHEIRO?
MC Hammer - Cagou no meu pau, hein, Ciça! Me fode...
Lobo Mau - QUERO NEM SABER, VOU DERRUBAR ESSA CASA AQUI E TE CAÇAREI ATÈ A MORTE PRA PAGAR O MEU DINHEIRO.
E assim, Lobo Mau pôs fogo no circo na casa. MC Hammer e Cícero, que não tinham coragem de voltar pra casa da mãe, foram pedir ajuda para o mais benevolente dos irmãos, Júnior. MC Hammer, que não era tão máu caráter como o irmão mais velho, explicou a história para Júnior que, bondoso como era, acolheu os irmãos e colocou eles para trabalhar em sua loja de sofás de couro, com a segurança que só um condomínio fechado pode oferecer. Mas o Lobo que era Mau era mais malandro que o cavalo marinho... todos eles, e deu um jeito de entrar por lá. Anunciou na portaria com sua sigla L.M., e Júnior logo deixou entrar, pensando que era seu amigo Lewis Ham Milton.
Lobo Mau - CÍCERO, EU SEI QUE VOCÊ TÁ AÍ, VIM PEGAR MEU DINHEIRO
Júnior - Não tem nenhum Cícero aqui não, você deve ter errado de casa.
Lobo Mau - CÍCERO, APARECE, SEU GORDO MALDITO.
MC Hammer - Não tem nenhum Cícero, nós já falamos.
Lobo Mau - SE VOCÊ NÃO ME PAGAR EU VOU DERRUBAR ESSA CASA E TE CAÇAREI ATÉ A MORTE PRA PAG...
Cícero - Não tem nenhum Cícero aqui, mas que merd... ops. Tinha que ter ficado calado, né?
Lobo Mau - EU VOU TE MATAR, PORCO MALDITO. SE NUM ABRIREM A PORTA EU VOU ENTRAR É PELA CHAMINÉ!
Júnior - Ainda bem que a gente não tem chaminé, né, MC?
Nesse momento, Lobo Mau, que era doido e mau, pula através da janela e começa a correr atrás de Cícero, que chora como uma mocinha. Tudo vira uma grande festa de "Corram atrás do porco!" e MC Hammer e Júnior começam a correr atrás de Cícero também. Até que finalmente Lobo Mau pega Cícero e o mata. Vingado e satisfeito, Lobo Mau se prepara para ir embora. Antes de sair, ele ouve do nosso bom samaritano de sempre:
Júnior - É... não vamos desperdiçar essa carne toda! Lobo Mau, você fica para a feijoada?
E fazem uma feijoada no condomínio de Júnior, onde convidam todos os vizinhos, a Dona Porca, o Lobo Mau, o Porco Aranha, o Babe, o Orson, todos numa grande festa suína! Só MC Hammer que não pode comparecer porque contraiu uma tal de Gripe Tipo-A de uma porquinha desprotegida... (afinal, não ia terminar esse poste sem fazer ao menos UMA piada da gripe suína!)

10 Comentários:

Gabi Magnani disse...

RI DEMAIS! A história assim ficou bem BEEEM melhor que a original hahahaha!

Pedro Lobato disse...

Sensacional. A melhor versão de "Os 3 porquinhos" desde...de...bah. A melhor versão de todas! E realmente, estava esperando a piadinha da gripe suína que não poderia ter sido aplicada em lugar melhor. Esperamos os próximos Risos Contos.

vanessa disse...

=\

Mas eu gostava tanto dos 3 porquinhos!
Eu te amo, mesmo você estragando minha infância =DD

Zé Abrão disse...

sinceramente, a melhor parte foi ele ser mal que nem o cavalo-marinho que...e o fato de ser irmão do MC HAMMER, que aliás, quando o Lobo Mau não pegou ele o que ele disse?"U CAN'T TOUCH THIS!" *tã-nã-nãnã-nãnã-nãnã*

pedrovitor disse...

Será que a galere sabe o final do 'malandro que nem o cavalo marinho que...' ?

Bom texto toscano, gosto do teu jeito de ver as coisas, mas ainda prefiro o evangelho, prontofalei. =D

mariana ♪ disse...

muuuito bom HSIDHUAHDHSAIUD . sabia que você ia fazer piada da gripe suína pelo menos uma vez. UHIASUHD

mariana ♪ disse...

mas o evangelho é realmente bom. eu morro de rir com ele .

Zé Abrão disse...

Hey Pedrito, claro que sabe, até eu sei

Giselle disse...

Vc TINHA que colocar comida na história né?
Não se contentou em falar apenas da feijoada feita com o Cícero, vc pega e enfia a foto do
sanduíche de presunto do McDonalds, só pra acabar comigo...=/

checkmypocket disse...

morri com essa história! heaouih

Postar um comentário