domingo, 3 de maio de 2009

Domingo

Domingo: dia reservado pra convivência familiar. Ninguém na verdade deseja estar ali. Minto. Sem generalizações, pode haver um ou outro, mas... todo final de semana? Lógico que o pai vai querer ver o futebol no domingo com sua cerveja sossegado em casa, a mãe vai querer descansar e os filhos vão querer encontrar seus amigos em um programa menos tedioso. Mas não! Todo mundo tem que ir, fazer cena, comer, fazer uma salinha ali pra ir embora depois, mesmo porque comer e ir embora é algo totalmente indelicado e fora dos padrões de convivência, né? Meu, família é família, não tinha que ter esse tipo de viadagem. A gente ainda vai, tira um tempo pra poder estar ali, vendo pessoas que você já vê durante a semana (ou não), e ainda tem que pagar de ético? São sempre as mesmas pessoas, as mesmas conversas, as mesmas piadinhas, as mesmas comidas, as mesmas insiraaquioquevocêdesejar. E é justamente por causa desses padrões que a gente pode observar figuras certeiras em qualquer reunião de família.

1. O tio inconveniente
Sempre tem um indivíduo, que você tem vergonha de afirmar que é seu tio, que na maioria das vezes está bêbado, e que parece que escolhe somente coisas desnecessárias pra falar. Ele olha pra tua namorada, que está conhecendo a família, e manda algo do tipo "Hm Pedrão, mandou bem dessa vez hein. Mas também né, aquela sua última namorada era o demônio. HAHAHHA. HA-HA-HA-HA . Qualquer coisa também né? HA-AH-HAH-A" *grita loucamente na roda olhando pra todo mundo esperando alguma reação semelhante*. Todo mundo fica com aquela cara de caneca, dando sorriso meia-boca só pra não deixar a garota (tão) envergonhada.

2. O primo insuportável (filho do tio inconveniente)
Você chega na reuniãozinha, e o demônio (de 7 a 9 anos) já aproxima. É daqueles que chega perto de ti, te bate e sai correndo saca? Aquele que faz a cabeça de todos os outros primos pra te encher o saco até você perder a cabeça, sabe? É petulante, mimado, mal-criado e sem educação. Aquele que você sempre sonhou em pegar aquela cabeça infernal dele e ficar socando na água da privada até ter um traumatismo craniano ou fazer ele descer num tobogã de lâminas/giletes em todo seu percurso com uma deliciosa piscina de álcool com sal no final. Mas sempre tem sua mãe, ou sua vó, que manda o que, particularmente, eu mais odeio: "Mas Pedro! Ele é só uma criança!". Criança é o caralho, esses moleques são mensageiros do capeta, cara, sério.

3. A tia que tem 40 anos, mas jura que tem 25
Ela realmente acha que tem idade pra usar aquele tipo de roupa juvenil, aquele decote-montro, aquela calça justa e não poderíamos esquecer do salto agulha 15 cms. E também não tem desconfiômetro de frequentar lugares que não pertecem ao seu grupo de idade. Ela vai à boates, à shows, e à festas que você mesmo pode estar lá com seus amigos. Fora essa vergonha alheia, ela não tem vergonha de falar pra sua mãe, pra sua outra tia, pra sua vó, o quão destruidas elas estão, e que elas deveriam botar silicone, fazer lipo, levantar os olhos, ajustar a boca, afinar o nariz, refazer a virgindade, e toda uma gama de futilidades que ela julga ser necessário pra viver uma vida de aparências. Por achar que tem 25 anos, ela acha que pode ter o linguajar dessa faixa etária também. Mas não consegue. "E aí, Pedrão, paquerando muito as gatinhas???". E ah, ela fala de sexo como fala de roupa! É só ter uma reunião de família que ela começa a soltar inconveniências:
- E você, Larissinha? Como anda o namoro com o Felipe? Já deu pra ele?
- Oi?
- Pode falar pra titia, sua mãe é meio careta, mas sua tia pode te ouvir. Vocês já fizeram 69?
- Que isso, tia!
- Ah, meu bem, você não precisa se sentir envergonhada. E 120, já fizeram?
- Como assim?
- É fazer 69 com uma garrafa de 51 no cú. rerere.

Esse tipo de peça normalmente tem um marido bem frouxo. Ele nem tenta fazer ela parar de falar porque se o fizer tem porrada em casa.

4. O cunhado
É do tipo bem chato mesmo sabe? Aquele que força amizade com seu sogro, fazendo piadinhas do tempo jurássico só pra agradar o velho. Participa e gansa em todas as conversas, dando sua opinião muitas vezes equivocada. Do tipo de ouviu alguém falar da bolsa de valores de Nova York no final de semana passado, e puxa o assunto só pra poder comentar e todo mundo pensar que ele é um cara antenado.

5. O anti-social
Sempre tem que ter um adolescente revoltado na família, né? Um que tá entrando na puberdade, cara toda cagada de espinhas, geralmente o mais feio da família que sabe que nunca vai casar ou ao menos arrumar uma namorada. Esse tipo de gente geralmente tende ao lado alternate life style. Bota um cabelo todo seboso de gel, pinta de preto, bota uma camiseta do MCR, e fica na reunião só porque a mãe só deixa ele ir ao show do Fresno à noite (um abraço ao nosso colega de blog, Toscano, que, mesmo ninguém acreditando, ou preferindo não acreditar, gosta de Fresno), se ele for à missa e ao almoço da família depois. Normalmente por conhecer muitas bandas de todos os lugares do planeta acha que é melhor que os outros e que ninguém ali está apto pra ter a honra de ouvir ele falar, mesmo porque o papo 'intelect' dele não atrairia ninguém. (aquele pessoal da roda não é o público-alvo de inteligência dele). Então ele fica lá, sozinho, isolado, ouvindo um iPod e pensando o quão ruim é a vida de merda dele.

6. O problemático
Toda família tem um ovelha-negra. Na real, não um ovelha-negra, seria mais adequado falar um... diferente dos demais. O alcoólatra em fase de recuperação, o drogado que acabou de sair da clínica, o travesti, o escritor de blogs (brinks, risos.), o louco... São os que estão só em observação. Ficam caladinhos, na deles, com sorrisinho maroto na boca. Mas eles não me enganam não! Certeza que eles ficam mirabolando planos de assassinato pra todo mundo ali, minuciosamente. Por isso, meus leitores, nunca sejam muito efusivos. É bom nunca ser notado.

Nada contra famílias (um grande abraço às famílias... do Brasil), inclusive eu adoro a minha, mas... vem cá... ô vó, vê se me libera esse final-de-semana?

23 Comentários:

Gabriel Mota disse...

Haha! Eu seria o problemático?!
Minha mãe me ligou hoje e disse:
"Hein filho, acabei de chegar do almoço na casa da sua avó... E blá blá blá!!!"

A minha família é legal. Principalmente a por parte de pai: eu e meu irmão somos os únicos netos, um tio é gay, o outro alcoolatra e a minha tia surda. Mas eu amo todos eles, principalmente a minha tia, que sempre que me vê solta um "menino herôzo da hia" ^^

Paul Mcfish disse...

eu gostei! *;

Lissa Fernanda disse...

discreveu minha familia....o primo insportável, no meu caso, é o irmão insuportável...todo dia sou feita saco de pancada, e se eu revidar ainda levo bronca...tem uma sempre presente que não é minha tia, mais é cunhada do meu tio....eh daquelas de 50 anos com cara de 70 e que acredita que tem 20...fica me perguntando de namorado, se convida pra ir a balada comigo e meus amigos, e quando vai acha que esta sendo paquerada por todos os meninos...outro dia apareceu com um ficante que era mais novo que o filho dela...minha avó quase infarta! o ex-marido dela, insiste que é meu tio...parou de frequentar os almoços de domingo depois que meu irmão colocou pimenta no suco dele e eu disse que foi bem feito...eh meu irmão nem sempre eh insuportavel...shushu

Guilherme Gondim disse...

Fodeu! Descobri que sou o problemático da família, ou sou o mais normal. Depende do ponto de vista.
Ótimo texto!!!

Guilherme Toscano disse...

eu gosto de fresno sim, cara. =/

e essa categoria "problemático" você inventou só pra não assumir que vc se encaixa nas outras categorias. malandro.

só não é mais malandro que o cavalo marinho, que...

Gus Stella disse...

Nossa, minha família é menos comum do que eu pensava! Não encontrei um caso desses aí na minha árvore genealógica ! O_O
o único fui eu, fazendo o anti-social aos 15 anos, mas tudo bem já passou, e minha camiseta do MCR agora é pijama! AEAEAEAE
fiquei BEM FELIZ com a minha família agora, uff.
abraços

Andressa Símaro disse...

HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAH eu ri muito desse post. descreveu super, super, super bem vários tipos de pessoas, jeitos diferentes..
eu AMEI, ri demais

Gabriela Magnani disse...

Só você mesmo pra fazer eu rir num sabado. huhauhaua. Parabéns e eu tenho uma tque tem 25, acho que você se inspirou nela, igualzinha a descrição hahaha!

Daniela disse...

KKKKKKKKK'
acho que o primo insuportável
é o que mais tem nas familias --'
adooro o blog , parabéns

Andréa disse...

Hahahaha...amei este post.


Mas fiquei preocupada.
Cara, tá certo que eu tenho 35 e não 40, e que eu penso ter 15 e não 20... Mas acho que a tia insuportável do texto sou eu!
Fala a verdade: eu não sou a única balzaquiana a ler essa biboca aqui?
Ah, e sexo é um troço tão bom, mas tão bom, que se pudesse viveria dele. Ops, não pensem besteira. Vou montar uma sex shop com a Laura.
E vou mandar todo mundo(se)foder com um belo e meigo sorriso nos lábios.


P.S.: eu só não uso roupa de adolescente que aí já é coisa pra internação. Mas será que all star conta? Eu amo all satr...

Gabriel Mota disse...

Tia Andréa, você é Tia Andréa, tá fora de qualquer classificação. Arrisco a dizer que você é mais que Tyra!!
Você é a Tyra com um pouquinho mais de pequi!
Ahahahahahah!!!

Se você fosse tia chata a gente não te amaria tanto assim! ^^

paulinhaaak disse...

'Criança é o caralho, esses moleques são mensageiros do capeta, cara, sério.' ri demais cara, IAUHDOIUHS. a unica coisa que nem tenho na familia é o cunhado chato. o resto... DHUASHU' sabado acordar 8:30hrs pra ir para casa da vô, aguentar primos e tios chatos. e os pais falando ' vai lá com seus primos,levanta desse sofá' ¬¬ UDHAOIHOSIUH, descrição da minha familia, será que sou ant-social ? o.o DIUHAUIS amei o post!

Zé Abrão disse...

companheiro, de fato, toda família se encaixa em muito disso. A minha não faz tantas reuniões de família, exatamente porque não tenta manter as aparências e sempre que bota muitos familiares no mesmo recinto a possibilidade do nível de álcool bater no teto e das véias saírem na porrada é muito grande - e acontece com frequência.

mariana ♪ disse...

IUDHIHISDUHSA adorei. na minha família tem primo bêbado, tia pobre, e etc. é triste rs. mas fazer o que .

giovanna bonach. disse...

Oi gente.
Aqui é a Giovanna, filha da adolescente Andréa, mas já vou avisando, não espere nenhuma atitude parecida com a dela, oi.
Sobre esse post, pode se considerar que na minha família eu me encaixo no número 5, a Bia no número 6 e DE FATO a minha mãe no 3, o que já é óbvio.
O blog de vocês tá lindo, galere. parabéns :D
e pedro, manda um 'oi' pro hudson e fala que eu me apaixonei por ele IUASHDIAS
beijo me liga.

p.s: srta. Andréa, não se orgulhe por sujar meus all stares e depois brigar por eu usar eles, ok?

Anônimo disse...

"69 com uma garrafa de 51 no cú" Kkkkkkkkkkkkkkkk.Essa eu nunca tinha escutado!kkkkkkkk

Anônimo disse...

Que família a sua, hein?

Washington Ricardo

Anônimo disse...

eu não tenho familia.

taah disse...

hahaha, muito bom, adorei...

Raquel disse...

HAHAUHAHA
muito verdade ! o primo insuportável então.. FATO !

Anônimo disse...

a tia descolada foi a melhor.
auhshuasuhb 120!

felipeflores disse...

Dei umas boas risadas com o texto. Confesso que não conhecia a tal 120. Será que existem tantas tias assim? Nunca conheci uma. E nossa, ainda bem que seja assim. Fiquei contente com minha santa ignorância, hahaha.

Devo me enquadrar no grupinho dos problemáticos, então.

thaynafr disse...

UDFISHDFIUDSFHUSAHFASDFHUASHU o ant-social no caso seria eu KKKKKKKKKKKKKKKK, morri, sério.

Postar um comentário